Meditação Caminhando – a técnica

Continuação dos ensinamentos do mestre Thich Nhat Hanh no blog Lion’s Roar em março de 2015. Leia a primeira parte Meditação Caminhando 1. Veja alguns livros do mestre Thich Nhat Hahn. Confira o texto sobre como lidar com a raiva de Thich Nhat Hanh. Acesse nossas páginas no facebook: budismo engajado e budismo petrópolis.

Meditação Caminhando – A Técnica

 

Somos feitos de corpo e mente. Nosso corpo pode irradiar a energia da paz e compaixão. Nossa mente também tem energia. A energia da mente pode ser poderosa. Se a energia da mente está cheia de medo e raiva, ela pode ser muito destrutiva. Mas se sentarmos conscientemente, se andarmos conscientemente e com reverência sobre a terra, irá gerar as energias de atenção plena, de paz e compaixão no corpo e na mente. Este tipo de energia pode curar e transformar.

Se você andar com reverência sobre a terra com duas outras pessoas, a imersão em solidez da Terra, os três irradiarão e se beneficiarão da energia da paz e compaixão. Se trezentas pessoas se sentarem ou caminharem desta forma, cada um gera a energia de consciência, paz e compaixão, e todos no grupo receberão essa energia de cura. A energia da paz e da atenção plena não vem de outro lugar. Ele vem de nós. Ela vem de nossa capacidade de respirar, caminhar, sentar-se conscientemente e reconhecer as maravilhas da vida.

Meditação: Caminhando sobre a Terra

Caminhe lentamente, de uma forma descontraída. Quando você pratica desta forma, seus passos são os da pessoa mais segura na Terra. Sinta a gravidade. A cada passo, você está conectado com a Terra.

Uma forma de praticar a meditação andando é respirar e dar um passo, e concentrar toda a sua atenção na sola do seu pé. Se você ainda não chegou plenamente, 100 por cento no aqui e no agora, não dar o próximo passo. Natureza de Buda é a capacidade de estar consciente do que está acontecendo. É o que lhe permite reconhecer o que você está fazendo no momento atual e dizer para si mesmo, eu estou vivo, eu estou dando um passo. Qualquer um pode fazer isso. Há um buda em cada um de nós, e devemos permitir que o buda caminhe.

Enquanto caminha, pratique a respiração consciente, contando os passos. Observe cada respiração e o número de passos que você conta quando você inspira e quando você expira. Não tente controlar sua respiração. Permita que seus pulmões se encham tanto tempo e o quanto eles precisam de ar, e simplesmente percebam quantos passos você dá quando seus pulmões se enchem e quantos você dá quando eles se esvaziam, levando em conta tanto a respiração quanto os seus passos. O link é a contagem.

Quando você subir ou descer, o número de passos por respiração vai mudar. Siga sempre as necessidades de seus pulmões. Você pode notar que sua expiração é maior do que a sua inalação. Você pode dar três passos durante sua inspiração e quatro passos durante sua expiração, ou dois passos, depois três passos. Se isso for confortável para você, por favor, aproveite e pratique desta forma. Você também pode tentar fazer a inspiração e a expiração no mesmo tempo, de modo que você dê três passos com sua inspiração e três com sua expiração. Continue andando e você vai encontrar a conexão natural entre a respiração e os seus passos.

Não se esqueça de praticar sorrindo. Seu meio sorriso trará calma e alegria aos seus passos e sua respiração, e ajudará a manter a sua atenção. Depois de praticar por meia hora ou uma hora, você vai achar que a sua respiração, seus passos, a sua contagem e seu meio-sorriso, todos se misturam em um equilíbrio maravilhoso com atenção plena. Cada passo nos conecta com a solidez da Terra. A cada passo, chegamos totalmente no momento presente.

Poema – Meditação Caminhando 

Eu me refugio na Mãe Terra.
Cada respiração, cada passo
manifesta meu amor.
Cada respiração traz felicidade.
Cada passo traz felicidade.
Eu vejo todo o cosmos na terra.

Acesse nossas páginas no facebook: budismo engajado e budismo petrópolis