Encontro Budista contra o Aquecimento Global

Doze autoridades budistas apelam aos líderes mundiais, no que estão chamando de um esforço sem precedentes, que efetivem ações em relação às mudanças climáticas, na próxima conferência, em Paris.

Acesse nossas páginas no facebook: budismo engajado e budismo petropolis

Numa carta lançada quinta-feira e intitulada Declaração Budista Sobre a Mudança Climática aos Líderes Mundiais, o Dalai Lama e outros 11 signatários consideram urgente o fim do uso de combustível fóssil e a mobilização para alcançar o uso de 100 por cento de energia renovável. Na carta, os autores informam que esta é a primeira vez que tantos líderes budistas se unem para assumirem uma posição frente a uma questão global.

Proteger o planeta, eles escrevem, é um dos pilares do budismo:

Nosso interesse está baseado na percepção de Buda da originação dependente, em que todas as coisas do universo estão interconectadas. Entender a causalidade dessa interconexão e as consequências de nossas ações são passos fundamentais para reduzir o nosso impacto ao meio ambiente. Cultivando a compreensão de interação e compaixão, seremos capazes de agir com amor, sem medo, para proteger o planeta.

“Líderes budistas tem falado sobre isso há décadas. Entretanto, a vida diária pode facilmente nos levar a esquecer que nossas vidas estão entrelaçadas com a natureza através de cada respiração, cada água que bebemos, e cada comida que comemos. Por causa de nossa falta de compreensão, estamos destruindo todo o sistema de apoio à vida que nós e todos os outros seres vivos dependemos para sobreviver”.

“Quando causamos um dano à terra, causamos um dano a nós mesmos”, disse uma das signatárias, Chan Khong, da Comunidade Internacional de Budistas Engajados Plum Village, numa nota à imprensa. “A Terra não é apenas nosso ambiente. A Terra é nossa mãe. Nós somos todos filhos da Terra, e precisamos nos socorrer uns aos outros, como irmãos e irmãs, do maior problema familiar planetário. Nós temos que agir, não por causa do custo, mas por amor ao nosso planeta e pelo amor de uns aos outros”. Ela acrescentou que “O Buda tem nos mostrado que podemos viver com simplicidade e nos mantermos bem felizes”.

A afirmação dos líderes budistas de que suas crenças espirituais os compelem a abraçar a conservação ecoa com o Papa Francisco, que usou os mesmo argumentos sobre o catolicismo na Encíclica sobre o Ambiente. “Nós não somos Deus”, escreveu o Papa em sua encíclica, lançada em junho. “A Terra estava aqui antes de nós e nos foi dada.”

Há mais de um bilhão de católicos romanos e entre 500 milhões e um bilhão de budistas (dependendo da forma em que é feita a contagem). Embora não obedeçam a todos aos líderes religiosos, eles somam um quarto ou mais da população mundial. O Dalai Lama também discursou em apoio a ações relacionadas à mudança climática, no início do mês num vídeo distribuído por uma campanha lançada pelo governo-no-exílio tibetano.

Acesse nossas páginas no facebook: budismo engajado e budismo petropolis

Acesse o site Eco-buddhism, e leia mais sobre a visão e o cuidado budista com a o meio-ambiente.