A Stupa de Boudhanath

Relatos da monja brasileira, Jigme Chöedzin, sobre a reconstrução de uma stupa no Nepal. Stupa é uma construção sagrada no budismo, onde se guarda relíquias e ensinamentos sagrados. Acesse nossas páginas no facebook: budismo engajado e budismo petropolis

“A Stupa de Boudhanath, em Katmandu, é referência para todos aqueles que vem ao Nepal em razão de conexão ou interesse pelo Budismo ou pelo caminho espiritual em geral. Sua construção está diretamente relacionada a muitas e elevadas aspirações e tem uma forte ligação com a história do estabelecimento do Budismo no Tibet – no livro “A Lenda da Grande Stupa”, disponível em língua portuguesa, há a narrativa de sua construção.

Como todos sabem, o Vale de Katmandu foi profundamente atingido pelo grande terremoto de 25 de abril deste ano e pelos tremores secundários que se seguiram. Porém, o bairro de Boudhanath, onde está localizada a Grande Stupa e onde há a maior concentração de Tibetanos, pode ser considerado aquele que sofreu o menor impacto em termos de danos materias.

Isso pode ser atribuído a questões geológicas, certamente; porém não resta dúvida de que o fato de ser aqui o local com a maior concentração de monastérios, onde vivem muitos e realizados mestres e onde ininterruptamente preces de aspirações são mantidas ao redor da Grande Stupa, por dedicados e devotados praticantes do mundo todo, gera neste local uma dimensão de benção e proteção que foi profundamente sentida durante os momentos mais difíceis que se seguiram aos terremotos e que segue repercutindo intensamente em cada pessoa que ao seu redor dedica preces. (Veja como era a Stupa na foto no final do post.)

Na data de hoje (nesse ano coiu no dia 3 de nov) comemora-se o “Lhabab Düchen, que corresponde ao dia em que o Buddha Shakyamuni retornou do paraíso de Trayastrima, após ter ficado três meses oferecendo ensinamentos à sua mãe (a rainha Mayadevi, que morreu logo após seu nascimento) e aos seres do reino dos deuses.

Tornando este dia ainda mais especial e profundamente significativo, hoje também foi realizada a cerimônia de “re-” consagração da Grande Stupa, já que obras de restauro foram necessárias, em razão dos danos que sofreu.

Uma multidão de pessoas esteve ao redor da Grande Stupa, participando dos pujas que foram realizados. Muitos grandes mestres, como Dudjom Rinpoche e Dilgo Khyentse Rinpoche, estavam conduzindo as práticas e realizando a consagração das mais diversas oferendas que foram sendo colocadas no interior da stupa, além de um grande pilar de metal que foi, ao final, erguido e fixado no topo da stupa, e sobre o qual será reerguida a parte superior que precisou ser demolida.

Alegria por poder vivenciar esse momento e poder espalhar as bênçãos.”

Jigme Chöedzin

Jigme Chöedzin
A monja Jigme Chöedzin, reside no Nepal e é monja da linhagem Drukpa, do budismo tibetano.

 

A stupa antes do terremoto, abaixo. Clique aqui e ajude o Nepal.
stupa-a

Acesse nossas páginas no facebook: budismo engajado e budismo petropolis