Meditação na Cozinha

Trecho extraído do livro: Touching the Earth, de Thich Nhat Hanh. Um ensinamento em forma de prece, para o cozinhar e o trabalho na cozinha como prática de meditação.

Acesse nossas páginas no facebook: budismo engajado e budismo petropolis

Senhor Buda, quando estou cozinhando para a Sanga ou minha família, eu posso praticar a atenção plena e a cozinha se torna minha sala de meditação. Quando eu coloco a água numa bacia para lavar os vegetais, eu olho profundamente na água para ver sua maravilhosa natureza. Eu vejo que a água vem do alto das montanhas ou do interior da terra diretamente para minha cozinha. Eu sei que há lugares na Terra onde existe a escassez de água e as pessoas têm que andar quilômetros para buscá-la. Aqui, a água está disponível assim que eu abro a torneira. Se a água falta por algumas horas, eu sinto imediatamente sua falta.

Consciente da preciosidade da água limpa, eu valorizo a água que está disponível pra mim. Eu também valorizo a eletricidade que uso para acender a luz e ferver uma jarra de água. Eu apenas preciso estar consciente da existência de água e eletricidade que está facilmente disponível para mim, e fico feliz imediatamente. Quando estou descascando os vegetais ou cozinhando eles, eu posso fazê-lo com atenção plena e com amor. Eu sei que trabalhando com atenção plena e amor, eu saberei como manter minha energia e não ficarei cansado.

Quando vejo o ato de cozinhar como meio de oferecer nutrição e cuidado para minha família e amigos, eu facilmente encontrarei alegria e paz no que estarei fazendo. Olhando profundamente para o tomate, a cenoura ou um pedaço de tofu, eu posso ver a natureza maravilhosa dessas coisas, como eles foram nutridos pelo solo, pelo sol, pela chuva, desde que era uma semente. Quando eu faço um chá, eu olho profundamente para ver as colinas de plantas de chá nas montanhas do norte do Vietnam ou as colinas enevoadas na India.

Trabalhando em silêncio com meus amigos e família, nós cozinhamos a refeição com atenção plena, amor e alegria. Na cozinha há um altar para o Bodhisattva da cozinha, e quando começamos a cozinhar nós podemos acender um incenso e continuar a prática de cozinhar numa dimensão espiritual.

Consagrado Buda, eu devo organizar minha vida e devo ter tempo e energia suficiente para cozinhar de um modo vagaroso e pacífico. Eu prometo que não falarei com irritação nem de modo desagradável na cozinha. Eu estou consciente que a energia do amor e da harmonia na cozinha diretamente penetra no alimento que estou cozinhando e que oferecerei para meus entes queridos.

Tocando a Terra

Eu toco a terra três vezes antes de invocar o Bodhisattva da cozinha, pedindo ao Bodhisattva para ser testemunha da minha pratica de cozinhar com atenção consciente.

Acesse nossas páginas no facebook: budismo engajado e budismo petropolis