Comunicação Saudável ou Tóxica

Nada pode sobreviver sem alimento.

Veja aqui sugestões de livros sobre Meditação e Budismo

Acesse o Instagram Budismo Petrópolis

Tudo o que consumimos atua para nos curar ou nos envenenar. Nós tendemos a pensar em nutrição apenas como o que absorvemos através de nossas bocas, mas o que consumimos com nossos olhos, ouvidos, narizes, línguas e corpos também é comida. As conversas que acontecem ao nosso redor e as que participamos também são comida. Estamos consumindo e criando o tipo de alimento saudável e que nos ajuda a crescer?

Quando dizemos que algo nos nutre e eleva as pessoas ao nosso redor, estamos alimentando o amor e a compaixão. Quando falamos e agimos de uma forma que causa tensão e raiva, estamos alimentando a violência e o sofrimento.

Nós frequentemente ingerimos comunicação tóxica daqueles que nos rodeiam e daquilo que assistimos e lemos. Estamos ingerindo coisas que aumentam nossa compreensão e compaixão? Se sim, é uma bom alimento. Muitas vezes, nós ingerimos a comunicação que nos faz sentir mal ou inseguros sobre nós mesmos ou críticos e superiores aos outros. Podemos pensar em nossa comunicação em termos de nutrição e consumo. A Internet é um item de consumo, cheio de nutrientes que são curativos e tóxicos. É muito fácil ingerir muito em apenas alguns minutos on-line. Isso não significa que você não deveria usar a Internet, mas deve estar consciente do que está lendo e assistindo.

Quando trabalha em seu computador por três ou quatro horas, você está totalmente perdido. É como comer batatas fritas. Não se deve comer batatas fritas durante todo o dia e não se deve estar no computador durante todo o dia. Algumas batatas fritas, algumas horas, são provavelmente tudo o que a maioria de nós precisa.

O que você lê e escreve pode ajudá-lo a se curar, por isso fique atento ao que você consome. Quando você escreve um e-mail ou uma carta cheia de compreensão e compaixão, você se alimenta durante o tempo em que escreve essa carta. Mesmo que seja apenas uma pequena nota, tudo o que você está escrevendo pode nutrir você e a pessoa para quem você está escrevendo.

Como você pode dizer que comunicação é saudável ou tóxica? A energia da atenção plena é um ingrediente necessário na comunicação saudável. A atenção plena requer soltar o julgamento, retornando à consciência da respiração e do corpo, e trazendo toda a sua atenção para o que está em você e ao seu redor. Isso ajuda você a perceber se o pensamento que você acabou de produzir é saudável ou não, compassivo ou indelicado.

Conversa é uma fonte de nutrição. Todos nos sentimos sozinhos e queremos conversar com alguém. Mas quando você conversa com outra pessoa, o que essa pessoa diz pode estar cheio de toxinas, como ódio, raiva e frustração. Quando você ouve o que os outros dizem, está consumindo essas toxinas. Você está trazendo toxinas para sua consciência e seu corpo. É por isso que a atenção plena ao falar e a atenção plena na escuta são muito importantes.

A conversa tóxica pode ser difícil de evitar, especialmente no trabalho. Se está presente ao seu redor, esteja ciente. Você precisa ter consciência suficiente para não absorver esse tipo de sofrimento. Você precisa se proteger com a energia da compaixão para que, quando ouvir, em vez de consumir toxinas, esteja ativamente produzindo mais compaixão em si mesmo. Quando você ouve dessa maneira, a compaixão protege você e a outra pessoa sofre menos.

Você absorve os pensamentos, a fala e as ações que você mesmo produz e aqueles contidos nas comunicações daqueles ao seu redor. Essa é uma forma de consumo. Então, quando você lê algo, quando ouve alguém, deve ter cuidado para não permitir que as toxinas estraguem sua saúde e tragam sofrimento para você e para a outra pessoa ou grupo de pessoas.

Para ilustrar essa verdade, o Buda usou a imagem gráfica de uma vaca que tem uma doença de pele. A vaca é atacada por todos os tipos de insetos e microorganismos vindos do solo, vindos das árvores, vindos da água. Sem pele, uma vaca não consegue se proteger. Plena consciência é a nossa pele. Sem ela, podemos absorver coisas que são tóxicas para o nosso corpo e mente.

Mesmo quando você simplesmente dirige seu carro pela cidade, você consome. Os anúncios atingem seus olhos e você é forçado a consumi-los. Você ouve sons; pode até dizer coisas que são produtos de muito consumo tóxico. Temos que nos proteger com o consumo consciente. A comunicação consciente é parte disso. Podemos nos comunicar de forma a solidificar a paz e a compaixão em nós mesmos e trazer alegria aos outros.

Muitos de nós sofrem por causa da comunicação difícil. Nós nos sentimos incompreendidos, especialmente por aqueles que amamos. Em um relacionamento, somos nutridos um pelo outro. Portanto, temos que selecionar o tipo de comida que oferecemos à outra pessoa, o tipo de comida que pode ajudar nossos relacionamentos a prosperar. Tudo – incluindo amor, ódio e sofrimento – precisa de comida para continuar. Se o sofrimento continua, é porque continuamos alimentando nosso sofrimento. Toda vez que falamos sem consciência, estamos alimentando nosso sofrimento.

Com consciência, podemos olhar para a natureza do nosso sofrimento e descobrir que tipo de alimento temos fornecido para mantê-lo vivo. Quando encontramos a fonte de nutrição para nosso sofrimento, podemos cortar esse suprimento e nosso sofrimento desaparecerá.

Muitas vezes, um relacionamento romântico começa lindamente, mas, como não sabemos como nutrir nosso amor, o relacionamento começa a morrer. A comunicação pode trazer de volta à vida. Cada pensamento que você produz em sua cabeça, em seu coração – na China eles dizem “em sua barriga” – alimenta esse relacionamento. Quando você produz um pensamento que carrega suspeita, raiva, medo, irritação, esse pensamento não é nutritivo para você ou para a outra pessoa. Se o relacionamento se tornou difícil, é porque nutrimos nosso julgamento e nossa raiva, e não nutrimos nossa compaixão.

Um dia, em Plum Village, o centro de retiro francês onde moro, falei sobre como precisávamos nutrir nossos entes queridos praticando comunicação amorosa. Falei sobre nossos relacionamentos como flores que precisam ser regadas com amor e comunicação para crescer. Havia uma mulher sentada perto da frente que chorava o tempo todo.

Depois da palestra, fui até o marido e disse: “Minha querida amiga, sua flor precisa de um pouco de água”. Seu marido estava na palestra e sabia sobre a fala com amor, mas às vezes todos nós precisamos de um amigo para nos lembrar. Então, depois do almoço, o homem levou sua esposa para passear pelo campo. Eles só tinham uma hora ou mais, mas ele se concentrou em regar as sementes boas o passeio inteiro.

Quando eles voltaram, ela parecia completamente transformada, muito feliz e alegre. Seus filhos ficaram muito surpresos porque, de manhã, quando os pais saíram, estavam tristes e irritados. Assim, em apenas uma hora, você pode transformar outra pessoa e a si mesmo, apenas com a prática de regar as boas sementes. Isso é aplicado à atenção plena em ação; não é teórico.

A comunicação nutritiva e curativa é o alimento dos nossos relacionamentos. Às vezes, uma expressão cruel pode fazer a outra pessoa sofrer por muitos anos, e também sofreremos por muitos anos. Em um estado de raiva ou medo, podemos dizer algo que pode ser venenoso e destrutivo. Se nós engolimos veneno, ele pode ficar dentro de nós por um longo tempo, lentamente matando nosso relacionamento. Podemos nem saber o que dissemos ou fizemos que começou a envenenar o relacionamento. Mas nós temos o antídoto: compaixão consciente e comunicação amorosa. Amor, respeito e amizade precisam de comida para sobreviver. Com a atenção plena, podemos produzir pensamentos, palavras e ações que irão alimentar nossos relacionamentos e ajudá-los a crescer e prosperar.

(Do livro A Arte da ComunicaçãoThich Nhat Hanh 

Fonte:  http://sangavirtual.blogspot.com   – Traduzido por Leonardo Dobbin

Veja aqui sugestões de livros sobre Meditação e Budismo

Acesse o Instagram Budismo Petrópolis